ARTES SENSORIAIS  

"É no aqui e agora que o acontecimento se dá
como se fosse pela primeira vez
embora num passado remoto
este acontecimento já se tenha dado
através de sensações corpórea
.
Podemos pois enunciar:“tudo está lá”.
Nós o sentimos hoje, não por tudo, estar lá,
mas sim, tudo está lá por o sentirmos no aqui e agora".
Lygia Clark


O trbalho cartes_01.jpgom Artes Sensoriais consiste na exploração livre e dirigida de espaços e objetos projetados para este fim, favorecendo a experiência de um ambiente transformável no momento presente, através ade diferentes estímulos provenientes do contato com objetos dos mais diversos, espaços preenchidos e vazios, densidades variadas, movimentos, ritmos, estímulos sonoros, olfativos e gustativos.

E apóia-se:

a) no estudo e pesquisa de objetos relacionais - criados por Lygia Clark - e sensoriais, utilizados na prática arteterapêutica com o objetivo de facilitar o mergulho no inconsciente profundo por meio de vivências que possibilitem acionar a memória sensorial, nas mais diferentes faixas etárias e no estudo e criação de materiais para o trabalho com deficientes visuais.

b) na tríade Psico-Orgânica de Paul Boyesen: Situação, Expressão e Sentimento (SES), que vai ao encontro do sentido favorecendo a conexão e integração do sujeito com o seu próprio universo simbólico e sensório;

c) na utilização do Toque e da Massagem como elementos terapêuticos de estimulação através do tato e do contato com os objetos, sob orientação da Análise Psico-Orgânica e da Psicologia Bionâmica de Gerda Boyesen;

d) na Psicologia Analítica de Jung, fio condutor da leitura simbólica do material emergente na exploração do espaço/objeto;

e) nos canais expressivos da Arteterapia, favorecendo a elaboração da vivência do espaço.

O trabalho desenvolve-se através de:


Vivências Terapêuticas:

Onde a interatividade com o material favorece a comunicação não verbal, a expressão corpórea e gestual, sendo estes instrumentos de acesso ao inconsciente, permitindo a emersão de conteúdos do imaginário e outros reprimidos, possibilitando a liberação da imaginação criativa e uma nova visão e percepção de si, do outro e do mundo.

Facilita a restauração na confiança no próprio corpo e a segurança interna, possibilitando o reconhecimento da própria existência, levando a vivências de diluição e relaxamento de tensões e stress.

Este trabalho pode se dar tanto em grupo como individualmente.

Exposições de Artes Sensoriais

Aberta a toda e quelquer pessoa que tem o desejo de explorar a arte e interagir com os materiais, tendo o acompanhamento de profissionais capacitados para este fim.

Este trabalho focaliza mais a exploração da Arte Contemporânea e a interatividades que esta propicia.

Após a utilização do espaço pode haver Oficinas de Artes ou Arteterapêuticas, visando uma melhor elaboração dos conteúdos emergentes na experimentação livre, de forma a favoreces o contato com a Arte Contemporãnea ou explorar o imaginário e o simbólico a partir da vivência indivdual deste espaço.



artes_02.jpg

Arte Senorial e Reabilitação

Por suas especialidades físicas, o trabalho com a Arte Sensorial possibilita uma interação entre sujeito-objeto e meio externos, de forma a possibilitar a criação e recriação de formas individuais e coletivamente. É oportunizado ao sujeito receber uma gama de estímulos sensoriais e elaborá-los, mergulhando num espaço interno para, posteriormente, voltar-se para o mundo exterior, reconhecendo as próprias limitações e potencialidades.

Numa proposta de estimulação sensorial o espaço é composto de superfícies com texturas diversas e equipado com objetos que produzem sensações diferenciadas por meio da interação com o ambiente e o contato sensorial.

Esta interatividade favorece a comunicação não verbal e a expressão corpórea e gestual, sendo estes instrumentos de acesso ao inconsciente, permitindo a emersão de conteúdos do imaginário e outros reprimidos, possibilitando a liberação da imaginação criativa e uma nova visão e percepção de si, do outro e do mundo.

Facilita a restauração na confiança no próprio corpo e a segurança interna, possibilitando o reconhecimento da própria existência, levando a vivências de diluição e relaxamento.

Amplia a consciência corpórea, trazendo a noção de envelope corporal: sensação do contorno da pele, restituindo a corporalidade na percepção do próprio peso, tamanho e forma: enfim numa vivência da totalidade corpórea. Leva a uma apropriação de si por meio da sensação concreta de integração, que dá sustentação e continente para a emergência de suas qualidades físicas, da memória afetiva e do universo simbólico.

A utilização do espaço pode acontecer livremente sob supervisão de um terapeuta qualificado ou por meio de exercícios dirigidos de exploração e sensibilização.


Espaços Temáticos e Livres de Artes Sensoriais:

Através da utilização do espaço que acontece livremente sob supervisão de terapeutas qualificados que acompanham o grupo na intenção de dar continente para os conteúdos emergentes e facilitar através a exploração livre, intervindo de forma a favorecer a reflexão e o auto conhecimento.

Mantendo uma proposta semelhante às vivências terapêuticas, cria-se espaços com temáticas específicas, de acordo com demandas prévias referente ao grupo atendido, focalizando trabalhos com conteúdos específicos referentes a dinâmicas relacionais e institucionais.


 

Equipe:
O estudo e a criação de espaços temáticos e livres de Artes Sensoriais para fins expositivos, de reabilitação e projetos específicos para apresentação em congressos, eventos, empresas e instituições, vêm sendo realizado por: Ana Luisa Baptista, Elaine Barcellos e Sandra Britto.



Topo